segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

[Mais uma vez (diria eu)] Manifestantes egípcios incendeiam biblioteca com rara colecção de manuscritos

O Egipto perdeu este fim-de-semana documentos e mapas históricos com mais de 200 anos num incêndio causado quando se registaram confrontos no Cairo entre as forças de segurança e os manifestantes anti-Exército. Entre os manuscritos perdidos estava a cópia original da “Description de L'Egypte”, uma colecção feita por encomenda de Napoleão durante a sua expedição ao Egipto, anunciaram no domingo as autoridades."
Veja o resto da notícia do "Público" aqui.

'via Blog this'

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Aviso FCT

Na sequência de orientações superiores, a Fundação para a Ciência e Tecnologia informa que abrirá em 2012 os seguintes concursos, abrangendo todos os domínios científicos:

1. PROJECTOS

Concursos abertos sequencialmente em quatro áreas científicas:
a) Ciências da Vida e da Saúde, com candidaturas abertas entre 15 de Fevereiro e 15 de Março de 2012
b) Ciências Exactas e da Engenharia, com candidaturas abertas entre 1 de Março e 29 de Março de 2012
c) Ciências Naturais e do Ambiente, com candidaturas abertas entre 21 de Março e 19 de Abril de 2012
d) Ciências Sociais e Humanidades, com candidaturas abertas entre 3 de Abril e 3 de Maio de 2012

Os resultados dos concursos serão anunciados no segundo semestre de 2012 por forma a possibilitar o início dos projectos em Janeiro de 2013

2. CONTRATOS FCT PARA INVESTIGADORES DOUTORADOS. CONCURSO NACIONAL

Este concurso permitirá a investigadores doutorados concorrerem a um contrato de trabalho por 5 anos, financiado pela FCT. A selecção, a nível nacional, basear-se-á no mérito do candidato e na qualidade do seu programa científico.

As candidaturas estarão abertas entre 6 de Março e 3 de Abril de 2012. Os resultados serão anunciados no segundo semestre de 2012 por forma a possibilitar o início dos contratos a partir de Outubro de 2012.

3. FORMAÇÃO AVANÇADA

Concurso para atribuição de Bolsas de Doutoramento e Pós-Doutoramento.

Candidaturas abertas entre 2 de Maio e 28 de Junho de 2012.

Os respectivos regulamentos e editais de todos os concursos serão publicados com um antecedência mínima de duas semanas em relação à data de início das candidaturas.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Évora assinala 25 Anos como Património da Humanidade

A Câmara Municipal de Évora assinala hoje a passagem de 25 anos sobre a classificação do Centro Histórico da cidade como Património da Humanidade pela UNESCO, feito conseguido em 1986 e uma distinção que trouxe uma maior notoriedade da cidade de Évora em Portugal e, sobretudo, além-fronteiras. O programa das comemorações terá início com uma Sessão Solene no Salão Nobre dos Paços do Concelho, pelas 11 horas, na qual serão ouvidos depoimentos de diversas personalidades acerca desta distinção para cidade de Évora, e será feito um tributo à geração Património Mundial: Jovens nascidos em Évora em 25 de Novembro de 1986. A sessão continuará com uma conferência pelo Professor João Carlos Brigola (Universidade de Évora/IMC) e terminará com a apresentação da Medalha Comemorativa da data, que foi concebida pelo artista plástico João Cutileiro. Pelas 12:30, a música vai andar pelas ruas do Centro Histórico, com a actuação dos alunos do Departamento de Música da Universidade de Évora, que se inicia na Praça do Sertório, com paragens em vários locais do Centro Histórico. O programa das comemorações regressa ao Salão Nobre dos Paços do Concelho às 18 horas, para a sessão de apresentação do Projecto “Évora, Percursos e Memórias - 25 Anos de Património Mundial da Humanidade, 25 Monumentos, 25 Lendas, histórias e devoções”. Este projecto contempla a realização de visitas guiadas, a decorrerem entre Novembro de 2011 e Novembro de 2012, a 25 edifícios emblemáticos da cidade, em percursos que, evocando a memória e a identidade da cidade, transportam os participantes para outras épocas e outras vivências. A sessão contará com uma conferência pela Professora Catedrática Maria Cátedra (Departamento de Antropologia Social, Universidade Complutense, Madrid) intitulada “Das fundações da Cidade: de Elbora ao templo de Diana”. Este dia de comemorações será encerrado com um Concerto comemorativo dos 25 anos de Évora Património da Humanidade, pela Orquestra da Universidade de Évora, na Igreja de São Francisco, pelas 21:30. É de salientar que o programa das Comemorações dos 25 de anos de Évora Património da Humanidade vai prolongar-se até ao dia 25 de Novembro de 2012, com muitas actividades a decorrer durante o próximo ano.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

2010 top ten trends in academic libraries

ACRL Research Planning and Review Committee

The ACRL Research, Planning and Review Committee, a component of the Research Coordinating Committee, is responsible for creating and updating a continuous and dynamic environmental scan for the association that encompasses trends in academic librarianship, higher education, and the broader environment. As a part of this effort, the committee develops a list of the top ten trends that are affecting academic libraries now and in the near future. This list was compiled based on an extensive review of current literature (see selected bibliography at the end of this article). The committee also developed an e-mail survey that was sent to 9,812 ACRL members in February 2010. Although the response rate was small (about five percent), it helped to clarify the trends.
'via Blog this'

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

VII Conferências do Cenáculo assinalam 200 Anos dos Estatutos da Biblioteca Pública de Évora

A Biblioteca Pública de Évora deve a sua fundação e grande parte dos seus valiosos fundos à iniciativa de D. Frei Manuel do Cenáculo Villas Boas. Os primeiros anos da instituição ficaram marcados pela instabilidade e guerra, a biblioteca foi vandalizada pelo exército francês em 1808 e uma parte substancial da sua colecção foi destruída. Com a publicação dos Estatutos em 21 de Setembro de 1811, o fundador concluía a sua obra, dotava a biblioteca de um orçamento generoso e de um quadro de pessoal, que queria ao serviço do público e digno duma “casa da sabedoria”, onde reunira uma colecção de inegável valor, não apenas de livros, mas também de obras de arte, antiguidades e produtos naturais. Os Estatutos abriram um novo ciclo, marcado pela esperança de transformar a biblioteca no local por excelência para todos os que pretendiam aventurar-se nos caminhos do conhecimento.
Este documento é também uma clara ilustração do pensamento moderno de Cenáculo em relação aos fins a que destinava a sua biblioteca. Considerava Cenáculo que “para se conseguir a sabedoria nada mais é tão útil e de maior necessidade que uma biblioteca pública”. Claramente o Arcebispo queria uma biblioteca aberta ao público (e não para uso exclusivo do clero), determinando um pormenorizado um horário de abertura bastante generoso para a altura. E vai ao pormenor de definir a forma como o pessoal deve lidar com os utilizadores: “Deverá ser do carácter de todos os oficiais o agrado e bom acolhimento, e franqueza para todos os que buscam as ciências, e ajudá-los, fazendo-lhes fácil e amável a frequência”.
Com as VII Conferências do Cenáculo, que têm lugar no próximo dia 29 de Novembro, na Biblioteca Pública de Évora, assinalamos o bicentenário dos Estatutos de 1811 e pretendemos criar um momento de reflexão e debate sobre a História das Bibliotecas, nomeadamente, no que se refere à importância das colecções, leitura pública e conservação de todo o seu espólio. Com a divulgação e debate sobre o passado recente da Biblioteca Pública de Évora, e de outras bibliotecas nacionais e estrangeiras, pretendemos, ainda, abrir hipóteses de intervenção no sentido de preservar e salvaguardar o património das instituições com responsabilidades bibliográficas e de o rentabilizar no contexto da sociedade de informação e da globalização em que vivemos.
A organização destas conferências é da responsabilidade do O CIDEHUS.UÉ – Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades, e do CEHFCi – Centro de Estudos de História e Filosofia da Ciência, ambos da Universidade de Évora, e da Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas / Biblioteca Pública de Évora. Conta com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia e da Câmara Municipal de Évora.
A participação nestas conferências é aberta e gratuita, mas sujeita a inscrição. Estas podem ser feitas no sítio na Internet da BPE (http://www.evora.net/bpe/inicial5.htm), onde podem igualmente ser encontradas mais informações sobre o evento.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

O lugar de um longo e secular sussurro

- É verdade disse admirado. Até então tinha pensado que cada livro falava das coisas, humanas ou divinas, que estão fora dos livros. Agora apercebia-me que, não raro, os livros falam dos livros, ou melhor, é como se falassem entre si. À luz desta reflexão a biblioteca pareceu-me ainda mais inquietante. Era portanto o lugar de um longo e secular sussurro, de um diálogo imperceptível entre pergaminhos e pergaminhos, uma coisa viva, um receptáculo de poderes que uma mente humana não podia dominar, tesouro de segredos emanados de tantas mentes, e sobrevivendo à morte daqueles que os tinham produzido ou deles se tinham feito mensageiros - Mas então - disse - para que serve esconder os livros, se dos livros patentes se pode remontar aos ocultos?
- No arco dos séculos não serve de nada. No arco dos dias serve para alguma coisa. De facto vês como nos encontramos perdidos.
- E, assim, uma biblioteca não é um instrumento para distribuir a verdade, mas para retardar a sua aparição? - perguntei espantado.
- Nem sempre e não necessariamente. Neste caso é.
Diálogo entre Adso de Melk e Guilherme de Baskerville, em "O Nome da Rosa", de Umberto Eco (DIFEL, p.282)

terça-feira, 19 de julho de 2011

Colóquio Internacional "A Medicina na Era da Informação"

O Colóquio Internacional MEDINFOR II vai ter lugar na Universidade do Porto de 21 a 23 de Novembro de 2011.

O MEDINFOR II, tal como o anterior, tem por objectivo central o exercício da interdisciplinaridade envolvendo a Ciência da Informação, a Medicina e outras áreas da saúde e da cultura. A apresentação de trabalhos académicos ou de âmbito mais profissional, num espaço de debate e de troca de ideias, permite pôr em confronto perspectivas diversas e estreitar laços entre profissionais das áreas da saúde, da informação e da cultura, não apenas de Portugal e do Brasil, mas de todas as partes e latitudes.

Os temas em destaque serão os seguintes:
1. Gestão de informação nos sistemas de saúde
2. Do laboratório à sociedade: a info-comunicação científica
3. Do teatro anatómico às plataformas digitais
4. Arquivos, bibliotecas, museus e acervos documentais de instituições da saúde e de médicos: preservação da memória.

A organização convida os interessados a remeter, até 15 de Agosto, os resumos de comunicações a apresentar no colóquio.

A informação sobre o MEDINFOR II está disponível no seguinte endereço:

Participe!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Integridade académica

Numa altura de teses plagiadas e muitos outros copianços, valerá a pena olhar com atenção para os exemplos que nos vêm da Universidade do Estado de Michigan.

Statement of Academic Integrity
'Whatever form it takes, academic dishonesty hurts everyone: it is unfair to other students, it diminishes the reputation of the University and the value of the degrees it confers, and it can result in serious disciplinary action' (Dr. Robert Kirkman, Georgia Tech U)."

Academic integrity means being honest about your intellectual work. Working as a member of a cooperative group is an effective and efficient method for learning biology or any subject. Interacting with other people is a natural way for people to learn, but each person must construct her or his own knowledge in the process. In Biosci 110, we encourage you to work and study together in and out of class meetings. The written materials you produce as homework, in-class activities, and projects will be an outcome of these interactions, but the materials you produce must be your own.
Michigan State University has an all-university policy concerning Integrity and Scholarship of Grades. As a student of Michigan State University, it is your responsibility to become familiar with, understand, and abide by General Student Regulations which protect both you and the university if an infraction has occurred. Ignorance of these regulations is not a defense in cases of infringement. So... Just DON'T Do It!

terça-feira, 21 de junho de 2011

Medidas do novo Governo para a Cultura - Cultura - Sol

Medidas do novo Governo para a Cultura - Cultura - Sol: "Medidas do novo Governo para a Cultura
20 de Junho, 2011

A revisão do estatuto do OPART, Organismo de Produção Artística, e manter a autonomia dos teatros nacionais São João e D. Maria II são duas das medidas que o secretário de Estado da Cultura, deverá concretizar no novo governo."

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Francisco José Viegas e Rui Mateus Pereira manifestam-se contra o fim da DGLB

No contexto dos trabalhos do fórum "Mais Sociedade",  Francisco José Viegas e  Rui Mateus Pereira assinam um documento intitulado "Apontamentos sobre Política Cultural" e nele defendem as seguintes posições relevantes para as políticas do livro, e da leitura e para as bibliotecas públicas.
16. Reiniciar a Rede do Conhecimento, interrompida em 2005, alicerçando-se nas infra-estruturas das bibliotecas municipais.
17. DGLB: é necessário reconstituir a estrutura da DGLB, conferindo-lhe a dignidade que teve na altura da sua criação. O fim da DGLB foi osegundo assassínio do Instituto do Livro. É impensável que a estrutura mais eficiente, mais capaz e mais prestigiada de apoio à cultura portuguesa seja desmantelada.
O documento completo pode ser consultado aqui.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Encontro em Nisa sobre "Leitura, Leitores , Educação: Redes sociais e Web 2.0"

Bibliotecas reúnem-se em Nisa

Enviar por E-mailVersão para impressãoPDF
Realiza-se no próximo dia 28 de Abril, na Biblioteca Municipal de Nisa, o 2º Encontro “Leituras, Leitores, Educação: Redes Sociais e web2.0” que acolhe bibliotecários municipais, professores bibliotecários  e responsáveis autárquicos e pretende reforçar a cooperação e o trabalho em rede entre bibliotecas municipais e escolares
Fonte: Jornal de Nisa. Leia a notícia completa aqui.

Kindle Library Lending, a biblioteca da Amazon

Com a devida vénia, aqui transcrevo um interessante post de Vladimir Campos no seu blogue 

Publicado em  por Vladimir Campos

A cada dia que passa, fica mais público e notório meu sentimento pelo iPad. Adoro a ferramenta, que tem literalmente mudado alguns de meu hábitos ao passo que também me ajuda em antigas tarefas substituindo o – quem diria! – pesado e grande notebook.
Mas há um outro “brinquedo” que muito me encanta. Como gosto muito de ler, penso muito na leveza, tamanho e tela do Kindle e mais que isso, o fato dele ser uma ferramenta dedicada a leitura. Não foram poucas as vezes que passou pela minha mente a idéia de comparar um. E confesso que essa idéia ainda não me deixou.
Hoje li duas notícias interessantes relacionadas a Amazon. Em primeiro lugar a venda de livros eletrônicos nos Estados Unidos superou a venda dos livros impressos. A outra noticia está diretamente relacionada a Amazon, que deu mais uma passo no sentido de se consolidar como um padrão ou sinônimo de livros eletrônicos. Foi divulgado hoje o serviçoKindle Library Lending, que permitirá o empréstimo de livros simulando o processo atualmente realizado nas bibliotecas publicas.
Não há detalhes de como se dará o processo, mas uma informação me agradou muito. O usuário poderá fazer anotações no livro que serão armazenadas via whispersync e caso o livro venha a ser comprado no futuro, as anotações poderão ser visualizadas nele.
Já experimentei o Kindle algumas vezes e como já mencionei acima, sua tela, tamanho e leveza são fatores muito importantes e que somam muitos pontos. Não sei como ele se adaptaria ao meu dia-a-dia que já conta com o iPad e o aplicativo Kindle da própria Amazon, mas fica sempre a sensação de que a medida que o preço dele cai, aumenta meu desejo de adquirir um.
Mas seja como for, estou bastante contente com a queda dessa última barreira digital. Depois de nossas músicas e filmes, chega finalmente a vez dos livros. Imagino um ponto no futuro próximo em que todos os nossos dados pessoais, entretenimento e cultura estarão à mão em um tablet.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Transmissãao em directo via Web TV da mesa redonda sobre “Bibliotecas itinerantes”na Biblioteca Pública de Évora


Siga  em directo via Web TV aqui: http://www.livestream.com/bpevid

B.P. Évora
Data: 19 de Abril, terça-feira
Horário: 18.00 horas

Tipo de Evento: Mesa Redonda

Local de realização: Biblioteca Pública de Évora

Site: http://www.evora.net/bpe

Organização: Câmara Municipal de Évora e Biblioteca Pública de Évora

Inscrições: Tel. 266 769 332 ou ficha de inscrição no sítio web

Entrada: livre mediante inscrição prévia

Título: “Bibliotecas itinerantes”

Oradores: Cristina Taquelim (Biblioteca Municipal de Beja), Constantino Piçarra (Biblioteca Municipal de Almodôvar), Rui Neves (Biblioteca Pública Municipal de Montijo)

Moderador: José António Calixto"

quarta-feira, 13 de abril de 2011

segunda-feira, 11 de abril de 2011


A Biblioteca Pública de Évora e a Câmara Municipal de Évora, no âmbito da comemoração do Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor, promovem uma tertúlia e uma mesa redonda dedicadas às bibliotecas e aos papéis que estas instituições devem desempenhar.

A primeira sessão, uma mesa redonda dedicada ao tema Bibliotecas Itinerantes realiza-se no próximo dia 19 de Abril, terça-feira, às 18h00. Perante a possibilidade de Évora passar a dispor de uma biblioteca itinerante que satisfaça as necessidades de leitura num concelho tão disperso com este, procurou-se reunir um painel de especialistas e técnicos da área com o propósito de discutir a sua pertinência e estratégias a desenvolver. Pretende-se que seja sobretudo um momento de partilha de ideias entre o painel de convidados e os cidadãos eborenses. Para esta mesa redonda convidaram-se Cristina Taquelim, da Biblioteca Municipal de Beja, Constantino Piçarra, da Biblioteca Municipal de Almodôvar, Rui Neves, da Biblioteca Pública Municipal de Montijo e Cláudia Sousa Pereira, em representação da Câmara Municipal de Évora. A moderação da sessão está a cargo de José António Calixto, director da Biblioteca Pública de Évora

No dia seguinte, às 18.00 horas também, é hora de falar sobre o que aconteceu ao mundo das bibliotecas desde a implantação da República Portuguesa até aos dias de hoje. Cem anos volvidos sobre a Implantação da República no nosso país, importa então entender que caminho percorreram as bibliotecas, que importância têm na sociedade actual e como influenciam o exercício da cidadania na sociedade da informação. Pretende-se que estes e outros temas sejam debatidos num ambiente informal que visa a aproximação dos cidadãos aos especialistas da área. Para esta tertúlia foram convidados Henrique Barreto Nunes, Ex-director da Biblioteca Pública de Braga, Universidade do Minho e Vice-Presidente do Conselho Cultural da Universidade do Minho, Maria José Moura, Vice-Presidente da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas - BAD, Bruno Duarte Eiras, Coordenador dos Serviços de Apoio ao Leitor das Bibliotecas Municipais de Oeiras e o Director da Biblioteca Pública de Évora José António Calixto que moderará a sessão. Esta actividade integra-se no ciclo de Tertúlias promovido pela Câmara Municipal de Évora “O CENTENÁRIO DA REPÚBLICA EM ÉVORA”.

A participação nas duas sessões é livre, mas pede-se o favor de uma confirmação prévia da sua presença. Para mais informações, pode-se contactar a Biblioteca Pública de Évora, através do número de telefone 266 769 330 ou consultar o sítio da BPE na Internet em http://www.evora.net/bpe/ .

Estatuto editorial do novo Notícia BAD

“Este boletim …encerra em si uma forte determinação: a de ser um poderoso elo entre todos os que trabalham no sector”Jorge Peixoto, Notícia BAD,  Nº 1, Janeiro 1975
“Notícia BAD” é o jornal em linha dos profissionais da informação e da documentação portugueses.
“Notícia BAD” integra um universo de comunicação mais amplo, propriedade da BAD – Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas, com presença activa tanto nas redes sociais como em formas tradicionais de comunicação.
“Notícia BAD” é um instrumento de divulgação, promoção e valorização social das bibliotecas, arquivos e outras instituições que trabalhem com a informação, bem como dos seus profissionais.
“Notícia BAD” é também um elo de ligação entre profissionais, académicos e outros interessados ou de algum modo ligados a esta área profissional e científica.
“Notícia BAD” potencializa todos os mecanismos possibilitados pelas tecnologias para alargar a rede de comunicação entre os profissionais dos diferentes países de língua oficial portuguesa.
“Notícia BAD” aposta numa comunicação viva, imaginativa, actual e actuante, privilegiando as notícias mais relevantes da área, sem descurar a crónica, a opinião ou o comentário mais desenvolvidos.
“Notícia BAD” observa rigorosamente os princípios éticos inerentes às profissões da área, nomeadamente o pluralismo e a independência política, económica e religiosa.
“Notícia BAD” publica textos dos seus redactores e colaboradores convidados, mas está aberto e publicará colaborações não solicitadas, reservando-se neste último caso o direito de as editar ou mesmo de recusar a publicação, tendo em atenção este estatuto editorial.
Leia o "Notícia BAD" aqui.

Parabéns à Ana Filipa Guerreiro...

... que concluiu hoje o seu Mestrado em Ciências da Informação e Documentação na Universidade de Évora, com a brilhante defesa de uma tese sobre a cooperação entre bibliotecas públicas no Baixo Alentejo.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Revisão da literatura


Da Edith Cowan University, Austrália, chega-nos um interessante e prático instrumento para quem quer ou tem de se lançar a fazer uma revisão da literatura. E quem não tem, mais cedo ou mais tarde?

Atenção aos 5 Cs:

1. Cite: keep the primary focus on the literature.
2. Compare the various arguments, theories, methodologies, approaches and findings expressed in the literature: what do the authors agree on? Who employs similar approaches?
3. Contrast the various arguments, themes, methodologies, approaches and controversies expressed in the literature: what are the major areas of disagreement, controversy, debate?
4. Critique the literature: which arguments are more persuasive, and why? Which approaches, findings, methodologies seem most reliable, valid, or appropriate, and why? Pay attention to the verbs you use to describe what it is an author says/does: e.g. asserts, demonstrates, etc.
5. Connect the literature to your own area of research and investigation: how does your own work draw on/depart from/synthesise what has been said in the literature?
Agradeço à Joanna Whitfield, que me chamou a atenção para este documento.

domingo, 3 de abril de 2011

Método ou metodologia?

O método da suave dissuasão baseada na psicologia
Com frequência trabalhos de mestrado e mesmo de doutoramento utilizam como se fossem sinónimos os termos método e metodologia. A mesma confusão chega a ver-se igualmente em livros sobre métodos de investigação.

Uma simples consulta ao "Dicionário da Língua Portuguesa", da Porto Editora, mostra claramente que os termos têm significados distintos. A entrada para "Método" define o termo como "programa que antecipadamente regulará uma sequência de operações a executar, com vista a atingir certo resultado; maneira ordenada de fazer as coisas, ordem; estratégia, modo de proceder; esforço para atingir um fim". Já sobre "Metodologia", o mesmo dicionário indica ser um "conjunto de regras ou princípios empregados no ensino de uma ciência ou arte; parte da lógica que estuda os métodos das diversas ciências".

Sobre esta distinção escrevem também alguns autores. Moore (2006, p. 40) refere-se assim a uma secção da proposta de investigação: "The next section deals with the methods to be used. Here it is worth noting that the proper term for this section is 'methods' - 'methodology' is the study of research methods". Também  Maxwell (2005, p137) é muito claro nesta distinção:

The term "methodology" is often used for this section of a proposal. Despite its prevalence, this is an inaccurate and pretentious usage, a good example of what Becker called "classy writing". Methodology is the theory or analysis of methods, not what you actually do in a particular study. The Publication Manual of the American Psychology Association (2001, pp. 17-20), a commonly used guide for both dissertations and research publications, uses the term "method" for this section of a manuscrit, not "methodology". 
Método é pois a estratégia, o modo de proceder de uma determinada investigação. Metodologia é o estudo, ou como indica o próprio sufixo, o conhecimento, se se pudesse dizer, dir-se-ia mesmo que é a ciência que estuda os métodos.

Referências
Maxwell, Joseph A. (2005). Qualitative research design: An interactive approach. Thousand Oaks, Sage
Moore, Nick (2006) How to do research : A\practical guide to designing and managing research projects ( 3rd ed.). London: Facet

sexta-feira, 1 de abril de 2011

É mais fácil (e mais barato) ser sócio da BAD

Realizou-se no dia 30 de Março, na sede da BAD, em Lisboa uma Assembleia-Geral ordinária de acordo com a agenda de trabalhos que foi divulgada na convocatória enviada a todos os associados.

Foram aprovados os seguintes documentos, já entretanto disponibilizados no site da Associação: Relatório e Contas de 2010 e respectivo Parecer do Conselho Fiscal e ainda o Plano de Actividades e o Orçamento de 2011. (http://www.apbad.pt/quemsomos.htm)

Foi igualmente aprovada uma proposta do novo Conselho Directivo Nacional, no sentido de, até ao final do corrente ano, a Jóia relativa à inscrição dos Associados Efectivos e Aderentes ser reduzida para € 5 e a dos Associados Colectivos para € 20, no âmbito de uma campanha de angariação de novos membros que agora se inicia e cujos contornos serão brevemente divulgados.

terça-feira, 29 de março de 2011

Que produtos e serviços esperam os profissionais da informação da sua associação?

Esta é a pergunta para a qual fui incumbido de ajudar a encontar uma resposta no contexto da 1ª Jornada de Reflexão sobre "A profissão e o associativismo na área da Informação e da Documentação" que a BAD - Associação Portuguesa de Bibliotecários Arquivistas e Documentalistas vai levar a cabo no próximo dia 9 de Abril na Biblioteca Municipal da Nazaré.

A questão central a debater pelo painel que vou coordenaré a seguinte: " Produtos/serviços – o que esperam e como podem os associados contribuir para a sua produção/difusão?"

O pedido que quero aqui deixar a todos os colegas e amigos é que me ajudem nesta tarefa. Podem comentar no blogue, no Facebook ou enviar-me emails. De uma forma ou de outra, será com base nas vossas sugestões que coordenarei os trabalhos desse painel para o qual vos convido desde já.

quinta-feira, 17 de março de 2011

21st Century Literacy

Évora: Biblioteca Pública com “aumento substancial e consistente” de leitores - Diretor

Évora: Biblioteca Pública com “aumento substancial e consistente” de leitores - Diretor: "Évora: Biblioteca Pública com “aumento substancial e consistente” de leitores - Diretor



A bicentenária Biblioteca Pública de Évora (BPE), uma das mais antigas e ricas do país, registou nos últimos quatro anos “um aumento substancial e consistente” de leitores, tendo contabilizado, no ano passado, mais de 67 mil utilizadores".


quarta-feira, 16 de março de 2011

LILAC2011


What is LILAC?

LILAC is the Librarians’ Information Literacy Annual Conference and is a firm favourite in the calendar of information professionals. The conference is brimming with new ideas, innovative teaching techniques, inspiring speakers and exciting social events.Who should attend?

LILAC is aimed at librarians and information professionals who teach information literacy skills, are interested in digital literacies and want to improve the information seeking and evaluation skills of all our library users whoever they may be.
Librarians from across the UK and around the world attend LILAC. Delegates come to us from over 30 different countries worldwide. Each year we attract significant key players in the information literacy field as keynote speakers from around the globe.
Our conference themes always have cross-sector appeal and consequently we attract delegates from schools, further education, government, health and special libraries as well as higher education. We are keen to build links across the profession as a whole and encourage librarians and information professionals from all sectors to attend.
We actively support librarianship students and those new to the library profession. For a number of years now, we have been able to sponsor students to attend the conference and are keen to continue to offer as much support as we can to help further careers.

What is Information Literacy?

The conference defines information literacy as the ability to find, use, evaluate and communicate information. We see it as the cornerstone of learning and an essential skill in this digital age and era of life-long learning. Media coverage of reports such as the Google Generation and Digital Britain demonstrate how information literacy skills are increasingly being recognised by those outside the library profession as being essential for all.

Networking and LILAC

Coming to LILAC 2011? Want to find out who’s attending and what their information literacy interests are? You can follow us on twitter: @LILAC_2011, follow conversations about LILAC by searching for #lilac11 or you can become a member of our online LILAC community. The LILAC community has been created to give LILAC delegates an online space to network. Visit: http://lilac.spruz.com/.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Plagiar ou não plagiar

Um vídeo excelente de uma universidade norueguesa sobre o plágio.
Para quem não sabe Noruguês aconselha-se o visionamento no YuoTube, onde há a funcionalidade de transcrição em Inglês.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Evidence Based Library and Information Practice

Evidence Based Library and Information Practice: "Evidence Based Library and Information Practice


EBLIP is an open access, peer reviewed journal published quarterly by the University of Alberta Learning Services and supported by an international team of editorial advisors. The purpose of the journal is to provide a forum for librarians and other information professionals to discover research that may contribute to decision making in professional practice. EBLIP publishes original research and commentary on the topic of evidence based library and information practice, as well as reviews of previously published research (evidence summaries) on a wide number of topics."

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

BAD MANIFESTA APREENSÃO PELOS SINAIS DE DESINVESTIMENTO NO PROGRAMA REDE DE BIBLIOTECAS ESCOLARES

O Conselho Directivo Nacional da Associação  Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas (BAD) vem comunicar a tomada de posição pública sobre a Portaria nº 76/2011, de 15 de Fevereiro, do Ministério da Educação. 

BIBLIOTECAS ESCOLARES - PORTARIA N.º 76/2011 
TOMADA DE POSIÇÃO PÚBLICA DA BAD 

1. A Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas (BAD), enquanto estrutura representativa dos profissionais de informação e documentação portugueses, tem apoiado convictamente, desde a sua criação, o Programa Rede de Bibliotecas Escolares, e por diversas vezes apresentado publicamente tomadas de posição, tal como aconteceu durante o último Congresso Nacional, relativamente à portaria n.º 756/2009, de 14 de Julho. Face ao conteúdo da portaria n.º 76/2011, de 15 de Fevereiro, que no ponto 2, do artº 2º, define que o Professor-Bibliotecário deve assegurar a leccionação de uma turma, a BAD manifesta a sua profunda apreensão, pelos sinais de claro desinvestimento que esta decisão representa.
2. Centenas de bibliotecas escolares, elementos essenciais  do processo educativo, contarão, a partir de Setembro próximo, com menos tempo de trabalho de todos quantos se empenham no seu desenvolvimento,  deixando objectivamente milhares de alunos, com piores condições de aprendizagem.
3. A publicação da referida portaria, menos de um ano depois de se ter verificado a redução dos recursos humanos das bibliotecas escolares (portaria n.º 558/2010, de 22 de Julho), indicia uma inflexão de rumo relativamente a estas, podendo  comprometer investimentos significativos  que, desde 1996, diferentes Governos têm conseguido concretizar, com resultados comprovados.
4. A BAD alerta para o perigo de se persistir em medidas que poderão comportar graves consequências para as bibliotecas escolares, estruturas essenciais ao desenvolvimento da literacia, das competências de informação e do processo de ensino-aprendizagem dos alunos;
5. Assumimos assim o compromisso de continuar a acompanhar atenta e criticamente as políticas aplicadas às Bibliotecas em geral e, neste caso, particularmente às Escolares,  manifestando um firme apoio aos que
nelas trabalham, persistentes e determinados a melhorar a qualidade dos serviços que prestam.

A posição pública da BAD, bem como toda a informação relativa à Associação está disponível em www.apbad.pt. Para mais informações contacte apbad@apbad.pt ou tel. 218161980.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Programme and Proceedings - IFLA Durban, South Africa, 2007

Programme and Proceedings - IFLA Durban, South Africa, 2007: "28-1 SI - Division III (1)
Social inclusion: how can public libraries embrace the challenge of reaching out to serve all people in their community?
Democracy and social inclusion"

EBLIP6 | Evidence Based Library and Information Practice Conference - Valuing Knowledge and Expertise

EBLIP6 | Evidence Based Library and Information Practice Conference - Valuing Knowledge and Expertise: "EBLIP6, 27-30 June 2011, England, UK

Valuing knowledge and expertise

The University of Salford is proud to host the sixth Evidence Based Library and Information Practice (EBLIP6) Conference in Salford, Greater Manchester, UK, June 27th – June 30th 2011"

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Bibliotecas são cada vez mais procuradas pelos jovens

As bibliotecas municipais e escolares em Portugal estão a ganhar importância como espaços privilegiados para utilização da Internet, revela um estudo europeu sobre crianças e riscos online hoje apresentado na Universidade Nova de Lisboa.
Este foi um dos dados que surpreendeu a coordenadora nacional do estudo, Cristina Ponte, que reforça o potencial das bibliotecas como espaço a apostar para ensinar os alunos a fazer uma boa utilização da Internet."

Veja a notícia completa no "Sol"
Bibliotecas são cada vez mais procuradas pelos jovens
4 de Fevereiro, 2011

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Reunião dos órgãos sociais da BAD

Decorre a primeira reunião dos órgãos sociais recentemente eleitos da Associação Portuguesa de Bibliotecários Arquivistas e Documentalistas.
Entusiasmo e participação dominam o ambiente, acrescidos com uma grande vontade de mudança para uma reafirmação da profissão.
Começámos com uma análise SWOT. Muito estimulante e produtiva.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

CILIP | Save Our Libraries Day

CILIP | Save Our Libraries Day: "Save Our Libraries Day


A day of action on the 5th February
CILIP is supporting Save Our Libraries Day, a day of action to bring greater attention to the cuts and closures facing many public libraries.

We want everyone who cares about reading, literacy and libraries to use their public library on the 5th February and tell as many people as they can to do the same.


Get involved using our 'sliding scale of spare time'

Got less than 2 minutes?
Tweet why you love libraries using the hashtag #savelibraries
Post this page to your Facebook profile and spread the word

Got 2 minutes?
Visit your library website to download an ebook or use online reference resources.

5– 10 minutes?
Contact all your friends and family, ask them to join their library and use library services on the 5th. Search and reserve books through this guide to library services in England.

10 – 15 minutes?
Email or write to your local MP, local press or Secretary of State for Culture, Media and Sport about the unique contribution public libraries make to society.

15 – 30 minutes?
Pop down your local library on the 5th. Borrow as many books as you can. While you are there read a newspaper, go online and find out what’s happening in your local community."

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Sobre leis de Bibliotecas

A recente discussão sobre a legislação para bibliotecas publicas fez-me lembrar que tinha escrito sobre isso na minha tese em 2001. Aqui fica o extracto.

9.6. Legislation

The fact that Portugal does not have a library law was often mentioned by librarians as a hindering factor to the library being able to play their educational roles, and indeed affecting many aspects of the work of the library.
Some responses stressed the relevance that a law could have in helping libraries to gain more autonomy:
We are expected to do many things but we are not given the corresponding autonomy. This is an aspect that should be carefully looked at by librarians, and we should have legislation for the libraries.
(Librarian, small town, South of the country)
Another reason to justify the need for library legislation was the possible conflict of the roles of librarians and of elected members:
Libraries suffer from lack of autonomy. A Library Chart must be urgently defined; otherwise it may be very dangerous for us librarians, as we will be seen as competing with the elected members.
(Librarian, medium size town, North of the country)
The financing of the library was another issue considered by some respondents as likely to benefit from legislation, as illustrated in the following responses:

I think it would be important, for example, as far as the financing is concerned, that some national parameters existed, because, otherwise, we risk that some municipalities being penalised in favour of others with less sensitivity to cultural matters.
            (Councillor, medium size town, North of the country)
One response raised a set of diverse issues that justify the need for legislation for public libraries. Alongside the benefits associated with autonomy and financing, it considered that legislation could help to ease the administrative procedures by underlying the specificity of the library within the organization of the municipality. Another major issue was censorship of library materials by elected members, which, according to the respondent, a library law would make more difficult.
A different statute should be defined for the library. Presently it is considered just as any other service of the local authority. Or maybe specific rules should be defined within the local administration for the reality which is the library, even within the administrative constraints that we have mentioned. It should be defined clearly how bids should be considered, how acquisitions should be considered, how the autonomy of the management of the library should be considered, independently of some political pressures. I mean the role of the library, as a library, should be understood, for instance within the guidelines of the UNESCO Manifesto that cannot cope with specific political orientations. It happens, sadly, I believe it happens in some libraries, that they may be used by political powers to convey a certain way of seeing things and just a specific way of seeing things. I remember having heard some colleagues say that it was absolutely impossible for them to have in the library works that were not in favour of a certain political allegiance. A public library cannot be compatible with these things. This has nothing to do with what a public library should be. It is even hard for me to believe in such things, as I, myself, have never felt something like this but this is what I was told… and it is possible because, depending on the political power, it may intervene… All the entities that intervene at a cultural level, and are associated with political power, are vulnerable entities. I think that a specific statute should be established for libraries, I do not know what other solutions exist except for a library law.
(Librarian, medium size town, South of the country)

It should be underlined that this was the only response which raised the problems of censorship in Portuguese public libraries, suggesting thus that this is not a major issue in Portuguese public libraries. However, this is a topic that would need clarification and demands further research, since there is evidence of the importance of this issue in other parts of the world (Curry, 1997).
The literature provides arguments to substantiate the respondent’s perceptions about the usefulness of having legislation to serve as a framework for public libraries. Both the UNESCO Manifesto (UNESCO, 1995) and the new IFLA Guidelines (IFLA 2000) are clear in their acknowledgement of the positive outcomes of library legislation.  While the Manifesto states that the public library “must be supported by specific legislation…”, the guidelines suggest that this legislation “assures their continuance and their place in the government structure.”  According to Thomas (1997) several reasons may recommend the existence of legislation. These include preventing charges, guaranteeing a certain standard or avoiding cuts to activities and setting the conditions for state support.
Different legislative and administrative traditions in different countries may lead to different approaches to library legislation. Legislation, in itself, is not a secure panacea to solve all the problems of public libraries. Besides the evolving of society may make obsolete any piece of legislation within a few years of publication (Vittiello, 2000). However, the perceptions of the respondents to the present study result from their own experiences of working and living in a library universe that, literally, is outside the law. Their hopes for what library legislation could bring about match in many cases the positive outcomes achieved in other parts of the world.
This study suggests that the existence of legislation in Portugal could help public libraries in fulfilling their potential of supporting education. It could add to a clarification of their educational roles, it could help in guaranteeing that they are given the necessary resources in a coherent and continuous way, and it would allow a clarification of their management structures and processes. 

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Debate sobre o código de ética dos bibliotecários

A ética profissional é um tema que tem passado algo despercebido aos bibliotecários alemães ao longo dos anos. No entanto, tendo em conta o papel que os bibliotecários desempenham na sociedade de informação actual, a questão da ética profissional está a ganhar cada vez maior importância.
Tradicionalmente, as bibliotecas das sociedades democráticas consideram sua missão assegurar o acesso à informação a todos os cidadãos. Tendo em conta esta grande responsabilidade social, é surpreendente constatar a falta de debate, entre os bibliotecários, sobre os princípios éticos do seu trabalho, especialmente porque, considerando devido aos cortes nos orçamentos e as novas tecnologias, os desafios não param de aumentar nos últimos anos, como por exemplo, no que à igualdade de tratamento de todos os cidadãos ou às questões sobre a protecção de dados diz respeito."
Veja o artigo completo no sítio do Goethe Institut